O importante é vencer

Saudações Vascaínas,

Finalmente nossa primeira vitória na Taça Libertadores da América veio e com ela um sentimento de esperança por um título tão esperado, como também o apoio ao elenco guerreiro.

Reservas vencem Olaria:

Primeiramente, não podia deixar de falar na vitória do Vasco contra o Olaria no sábado passado. Com um time misto que durante a partida se tornou totalmente reserva, tirando Fernando Prass, ganhamos por 2 a 0.

A inovação buscada pelo técnico Cristóvão Borges em apostar nos meninos da base deu certo. Um dos destaques do primeiro tempo foi Deiyson na lateral esquerda.

O ataque foi formado por Eder Luis e Tenório. Eder que volta ao time depois de sofrer uma contusão ano passado, mostrou que não perdeu suas habilidades. O que falta ainda ao atacante é perder o medo de entrar nas divididas, pois velocidade ele ainda tem, basta aprimorá-la já que ficou tanto tempo parado.

Tenório, marcou seu primeiro gol com a camisa do Vasco, e foi um belo gol. O equatoriano teve uma boa atuação, e se movimentou muito bem, pena que no segundo tempo de jogo ele rompeu o tendão e vai ficar fora de 5 a 6 meses.

O jogador era esperado pela diretoria, torcida e pelo técnico para jogar a Libertadores da América, realmente este será um grande desfalque pelo fato do jogador já ter disputado essa Taça e já estava quase pronto para jogar nesta competição. É uma pena perdê-lo.

Mas falando de outros destaques, Deiyson que jogou na lateral esquerda, como citei, foi um dos melhores em campo. Sua atuação foi sólida, sem erros, e bem participativa.

Foi dos pés dele que começou a jogada para o 2° gol do Vasco. Mas o incrível desse gol, não foi por ter sido feito por Eder Luis na sua reestréia, mas pelo cruzamento perfeito nos pés de Tenório feito por Diego Rosa. Inesperado...

Bom, no lance, Tenório perde o tempo da bola, mas Eder chega por trás e marca o 2° do Gigante.

O time teve bastante posse de bola, não sofreu muito perigo. A criação de jogadas ficou por conta de Felipe, que já vem tendo ótimas atuações e estava merecendo a oportunidade de jogar mais.

Max na lateral direita, e Douglas na zaga , também tiveram uma boa atuação substituindo Fagner e Dedé respectivamente.

O bom do jogo também foi que o técnico Cristóvão Borges preferiu poupar Eduardo Costa para o jogo de terça passada da Libertadores, do que Fellipe Bastos, que foi para esse jogo contra o Olaria.

O que importa é a vitória:

Terça passada, nosso elenco fez um bom jogo e saiu vitorioso contra o Alianza Lima do Peru por 3 a 2.

Para quem vê o resultado, acha que a partida foi complicada, um jogo muito difícil onde os dois times tiveram a oportunidade de sair vencedor.

Mas não foi nada disso.

No começo, a posse de bola foi total do Vasco, e com isso, dava para se notar a inferioridade do time do Alianza.

O nosso ataque foi formado por Alecsandro e Willian Barbio, e está funcionando bem, mas o problema foi que Diego Souza acabou recuado demais.

O meia mal busca o jogo, fica esperando a bola chegar a seus pés, e ainda estava recuado, nem participou direito da partida no primeiro tempo.

A zaga, como eu havia falado na minha Coluna anterior, era o mais preocupante, não por Dedé, todos sabem, mas por Rodolfo.

E foi exatamente o que preocupou os vascaínos na primeira etapa de jogo quando levamos um gol no contra-ataque do Alianza e depois do erro de Rodolfo. O atacante peruano acabou ficando cara a cara com Fernando Prass e não desperdiçou.

O pior de tudo, é que Renato Silva nem no banco estava por ter sido expulso no jogo contra o Nacional do banco de reservas. Mas o Cristóvão foi consciente, e colocou Douglas em seu lugar na segunda etapa.

Ainda assim, o Vasco não se abalou com o gol sofrido, e soube aproveitar a primeira oportunidade de marcar.

E foi com o apagado Diego Souza que começou a jogada.

Diego Souza dá ótima arrancada, abre para Wiliam Barbio na direita, que cruza rasteiro e o zagueiro Ramos, tentando cortar, acaba colocando a bola para dentro empatando o jogo em São Januário.

Juninho, que acabou sendo criticado por alguns durante a partida pelas faltas mal batidas, teve sim uma boa atuação, pois todas as jogadas pelo lado de Barbio começaram por ele.

Foram 6 lançamentos feitos pela direita, pena que nenhum deles foram aproveitados.

O único erro mesmo foi nas cobranças de falta, realmente ele bateu muito mal. Mas no segundo tempo, ele cobrou uma na medida, mas bateu na trave.

Bom, o destaque desse jogo foram o números de pênaltis a favor do Vasco, dois deles perdidos por Alecsandro.

Esse não era mesmo o dia do artilheiro vascaíno. Ainda colocou duas bolas para dentro, mas em posição de impedimento, que alias, foi sua posição no jogo todo.

Deu para perceber que ele se esforçou bastante em campo, mas esforço somente não leva o time à vitória. Foi total incompetência dele perder 2 pênaltis numa Libertadores onde nenhum lace pode ser desperdiçado.

Ele vai precisar marcar muito para se redimir com a torcida, que mesmo assim, ainda o aplaudiu no fim do jogo.

Quem acalmou os ânimos em São Januário foi Mito.

No segundo tempo após cobrança de escanteio cobrado por Fagner, Dedé sobe sozinho e marca o gol da virada.

A segunda etapa foi marcada por total dominação do Vasco, com maior posse de bola, isso graças à expulsão do Carmona.

O 3° pênalti do jogo foi cobrado por Juninho Pernambucano, que mesmo não batendo tão bem, cobrou forte e a bola entrou.

O Vasco fazia 3 a 1 a essa altura e mal esperava por reação nenhuma do time do Alianza.

O 2° gol deles foi depois de uma cobrança de falta, nem os próprios acreditaram.

Com isso, o jogo foi ficando cada vez mais emocionante, mas acabamos levando a vitória.

A torcida fez seu papel e aplaudiu o time, até mesmo pela motivação que viu por partes dos jogadores em campo.

O erro na cobrança de pênalti cometido por Alecsandro foi grave. O jogador tem total consciência de que deve se redimir com o Vasco até pelo apoio que teve dentro e fora de campo.

Felipe, o Maestro:

Não citei o Maestro acima até porque prefiro falar dele nesse tópico individualmente.

Felipe é um jogador que se destaca em todas as partidas, é raro vê-lo errar um passe no meio de campo.

Mesmo sendo veterano, mostra que está em forma e procura ser bem participativo nos jogos. Alias, quando ele está em campo, quase todas as jogadas passam primeiro pelos seus pés.

A partida contra o Alianza não serviu para mostrar que Juninho e Felipe devem jogar juntos, até porque a qualidade técnica do Alianza não nos oferece qualquer análise sobre isso, mas serviu para mostrar que Felipe deve ser titular nos próximos jogos.

Não estou falando que os dois não podem jogar juntos, eu acho até que eles podem pelo fato de terem uma atuação regular em todos os jogos, mas para isso, deve-se avaliar a partida, porque dependendo do jogo, eles têm totais condições de jogarem juntos.

Até mesmo pelo que Cristóvão disse, a cada partida, deve-se analisar quem é o melhor, ou o jogador específico para cada jogo.

Vasco x Madureira:

Amanhã o Vasco enfrenta o Madureira pela Taça Rio. Fagner, Dedé , Thaigo Feltri e Alecsandro foram poupados pelo técnico Cristóvão Borges por causa da partida da Libertadores que é a prioridade do Vasco

A vitória é provável que venha com novamente um time misto. Os reservas e os meninos da base terão novamente um chance de mostrar serviço.

Cristóvão colocou esse time para treinar, e será o provável que entre em campo: Fernando Prass, Max, Douglas, Renato Silva e Dieyson; Eduardo Costa, Fellipe Bastos, Juninho e Chaparro; Jonathan e Diego Souza.

Proxima terça o Gigante joga em Assunção, no Paraguai contra o Libertad-PAR 

Caso Bernardo e Carlos Alberto:

A torcida está dividida entre reintegrar ou não esses dois jogadores. No caso do Bernardo, a confusão armada já está quase esquecida por parte da torcida e muitos querem que ele volte a treinar com o elenco, até pelo fato do Vasco está disputando uma Libertadores e precisar de jogadores decisivos como é o Bernardo.

Já o Carlos Aberto, a maioria da torcida não quer a sua volta pela razão do jogador ter tido uma série de contusões que não o deixaram jogar pelo Vasco em 2010 e começo de 2011. Ainda assim, mesmo mostrando arrependimento e vontade de ficar no Vasco, sua situação é mais complicada.

Essa semana ficaram de resolver esses dois casos. Se o Bernardo finalmente volta, e se o Carlos Alberto na última das hipóteses será reintegrado.

Se a diretoria demorar tanto para resolver esses tipos de problemas, é de uma total incompetência.

Espero que Bernardo volte logo ao time, pois estamos precisando de jogadores com mais raça em campo. Já sobre o Carlos Alberto, apoio a condição de dar a ele uma segunda chance. Acho simples o fato de deixá-lo voltar, até porque temos um banco muito fraco. Caso ele não renda o esperado, afasta ele novamente. O que não pode é o jogador ficar recebendo uma fortuna do Vasco sem está dando nada em troca.

Saudações Vascaínas!

Carol Canoa 
Twitter: @CarolCanoaCRVG 
Facebook: Carol Canoa


carol_canoa

Carol Canoa é colunista do Portal Supervasco e também uma das autoras do Blog TORCEDORES DO VASCO (http://www.torcidacrvg.com ), criado em fevereiro de 2010 e que tem como principais objetivos informar e dividir ideias com toda essa enorme nação vascaína.


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Termômetro da Torcida

Como você avalia a equipe de futebol 2012 do Vasco?

58.4%
21.8%
9.9%
7.9%
2%
Loading...