Marcelo Resende

Um “chamado às armas”

 

torcida-do-Vasco-lota-são-januário

Vascaínos,

Depois de altos e baixos neste início de Taça Guanabara, conseguimos nos classificar ainda em primeiro do grupo, enfrentando o Fluminense na semifinal do primeiro turno.

Ano passado, os tricoletes foram nossos algozes nos derrotando na final da Guanabara. Para esta semifinal, temos a vantagem do empate, pois fizemos uma campanha melhor.

Todos sabem que o Frednense é nosso freguês histórico, apesar da final do ano passado. Estão focados na Libertadores, porém, não querem perder o Cariocão. Se disserem isso, é porque perderam e querem diminuir o torneio estadual. Para mim, a Flunimed possui o melhor elenco dos clubes do Rio, dificilmente conseguem alguma coisa, mas possuem. Empatamos com eles no primeiro turno, num jogo onde poderíamos ter saído com a vitória. Bobeamos e deixamos o Fred sozinho: 1 x 1. Hora de trabalhar para que os mesmos erros não aconteçam novamente e que jogadores como o camisa 9 tricolor não possa cabecear a bola livremente no meio da área. Espero que tenhamos aprendido no primeiro jogo.

Pois bem, clássico por si só já gera um grande apelo. Ainda mais sendo em jogo decisivo, mesmo que de um estadual. Os dias que antecedem ao jogo são cheios de ansiedade, louco para que se chegue logo o grande momento. Pela grande mídia, como já disse aqui,não  somos, de longe, os favoritos, justificados por um time sem estrelas, comandado por um incerto Carlos Alberto, com o clube tendo recentes problemas na administração, salários atrasados e outras coisas mais ventiladas na mídia sempre querendo nos diminuir.

Portanto, não há ninguém do nosso lado. E é neste momento que essa torcida tem que aparecer, vibrar, defender o seu time, bater no peito e dizer “Sou Vasco da Gama, meu bem, Campeão de Terra e Mar”. A Imensa Torcida Bem Feliz necessita, mais do que nunca, comprar o barulho do seu time do coração, mesmo que não tenhamos um time forte, técnico, dirigentes competentes e problemas para tudo quanto é lado.

É hora de comparecer ao estádio. Chegar cedo ao Engenhão no próximo sábado para chegar com tranquilidade e paz. É hora de a torcida vascaína mostrar, mais uma vez, o seu tamanho. É hora de engolir a pequena torcida tricolor. É hora de assustar o time adversário com a nossa grandeza. Hora de mostrar o que é a torcida que diz que o “Sentimento Não Pode Parar”.

O Vasco precisa de nós, torcedores. E torcida ganha jogo sim (!). Temos tradição nas arquibancadas e não é à toa que o clube é conhecido como o Gigante da Colina. É um chamado às armas. Encontro marcado, sábado no Engenhão. Juntos passaremos por cima do Flu.

Uh, pula aêh. Deixa o Caldeirão ferver.
#OSentimentoNãoPodeParar

Saudações Vascaínas!

Marcelo Resende

 

Marcelo Resende é colunista dos sites http://canelada.com.br/vasco e http://vozesdacolina.com.br. Visite!

marcelo.resendeAluno de jornalismo da UERJ. Vascaíno singular, que faz de São Januário sua segunda casa. A vida me fez Vasco, e eu fiz do Vasco a minha vida: "Vasco é minha vida, minha história, meu primeiro amigo".

 

Gostou? Então compartilhe!

Quem está nos visitando