Marcelo Resende

Como recomeçar?

 

torcida-vascaína-glóriaSenhores,

Depois de uns dias, a dor de mais uma derrota na final vai passando cada vez mais. E os torcedores bons têm à prova o seu amor ao clube.

Não foi dessa vez, novamente. Portanto, não é a hora de desacreditar em nosso Gigante da Colina, apesar de tudo nos levar a isso. Sabemos que chega uma hora que cansa, que não dá mais, exausto de promessas e nunca chegar a lugar algum. Mas a relação torcedor-clube tem que ser maior que momento, é algo mais, não ligado apenas a títulos e  à frustrações.

O amor ao clube vem ligado àquela história particular que fez você enxergar que o Vasco deve ser o seu time do coração, ligado à própria História do clube, maior que qualquer outra instituição esportiva desse país, à tradição, a São Januário – sentimo-nos tão bem na Colina Histórica, ao maior patrimônio que um clube de futebol pode ter, sua própria torcida.

Nós somos apaixonados pelo Vasco, por isso nossa relação transcende qualquer decepção, mesmo repetitivas. É chato toda hora ter que expor isso, porém é a única coisa que devemos fazer no momento. Exaltar nossas glórias, inúmeras, épicas, fantásticas, todos os adjetivos não resumirão o que está ligado a nós através do tempo.

O Vasco somos nós, torcedores. E nós devemos ter uma participação mais ativa na vida do clube. Não digo ir a São Januário numa segunda-feira pós-clássico cobrar dos jogadores uma derrota. Isso não, é feio, para quem apenas deseja aparecer. Digo participar na vida política do clube, ter o interesse de falar, opinar, agir, levantar uma instituição centenária que só pode ser salva pelos próprios torcedores. Aqueles que lá estão, na vida política do Vasco não vêem o bem e não respeitam o que conduzem. A briga interna, de interesses pessoais de ambas vertentes, acaba conosco (clube e torcedor).

Assim como em nossa vida paralela ao esporte, é necessário que sejamos ativos, senão aproveitadores tomarão decisões por nós. Em 2014 é ano de eleição, e também no Vasco da Gama. Portanto, se quiser fazer parte de uma possível mudança, associe-se. É necessário se tornar sócio agora para que possa ter condições de votar no próximo ano (deve-se ter 1 ano de associado, no mínimo, para ter direito às urnas vascaínas).

Então, vascaíno, pense bem. Vamos reconstituir o que tanto amamos e temos orgulho de dizer isso. Vamos fazer um recomeço que dure para sempre, ou por bastante tempo, no mínimo. Afinal: o Vasco é nossa vida, nossa História, nosso primeiro amigo!

Saudações Vascaínas!

Marcelo Resende

 

Marcelo Resende é colunista dos sites http://canelada.com.br/vasco e http://vozesdacolina.com.br. Visite!

marcelo.resendeAluno de jornalismo da UERJ. Vascaíno singular, que faz de São Januário sua segunda casa. A vida me fez Vasco, e eu fiz do Vasco a minha vida: "Vasco é minha vida, minha história, meu primeiro amigo".

 

Gostou? Então compartilhe!

Quem está nos visitando