Prof. Luiz Carlos Rocha

VASCO TOMOU UMA VOLTA (REDONDA) EM CASA!

 

Com um gol do zagueiro André Alves a equipe da Cidade do Aço derrotou o Vasco da Gama em pleno São Januário, com direito a vaias e gritos de olé para o time da casa. O resultado deixou o Gigante da Colina numa situação bem complicada, em quinto lugar na tabela de classificação da Taça Rio, Segundo Turno do Campeonato Carioca. Nosso próximo desespero será contra o Nova Iguaçu, no Estádio da Cidadania, quarta-feira, às 22h.
Com todo o respeito ao time do Volta Redonda, mas ganhar o Vasco é um abuso, em casa então é matar um Leão com uma faquinha de passar manteiga no pão. Um ato heróico. Não desmerecendo a vitória dos amigos do Sul Fluminense, o Vasco não jogou nada. A certeza que tive hoje – ao amargar mais uma derrota – é que de Aço mesmo é a paciência da torcida vascaína. Outrora já teria cobrado energicamente explicações ao presidente Roberto Bombinha.
Não entendo como um time que perdeu a decisão da Taça Guanabara para o Botafogo de maneira infantil e teve uma semana para apenas treinar não conseguiu ganhar do fraco Tricolor Sul Fluminense. Gaúcho não tem condições de ser treinador nem de equipe de futebol de mesa do clube, que dirá de futebol profissional. Deixar Bernardo e Marlone no banco de reservas é no mínimo não entender nadica de nada de futebol. Deu sorte não ter sido chemado de burro pela Imensa Torcida Bem Feliz (nem tão feliz assim ultimanente).
Olhar Fellipe Bastos no banco me dá preocupação. Outro que desejo ver longe do clube é o atacante (só se for de nervos, o único ataque que ele pode provocar) Éder Luís. Acabei de descobrir quem é o avô dele. Muito se fala que ele é neto do Vento, só se for do Vento Encanado (como chamamos pessoas indesejáveis aqui no Rio de Janeiro). Tá de sacanagem, não é? O cara não acerta nada do que faz. A velocidade dele deve ser controlada por radar! O mais impressionante é que ele quer reclamar do torcedor. Isso é piada!
Bernardo e Carlos Alberto seria a melhor opção do ataque. Ou Bernardo e Romário, deixando CA 10 como elemento surpresa do meio para o ataque. Marlone tem vaga certa neste time. O garoto joga bola. Hoje o pouco que atuou fez diferença. O gol não tem explicação. André Alves subiu entre Dedé, Sandro Silva e Nei, mesmo assim foi mais rápido e fez o gol. Erro de posicionamento, falta de vontade e ausência de talento na defesa cruzmaltina.
Dedé o único bom jogador da defesa do Vasco está perdoado na maioria dos gols sofridos, mas não em todos. Depois que foi consagrado pela torcida como o Mito e vestir a amarelinha mascarou um pouco. De qualquer forma é infinitamente melhor do que os colegas de setor. O Tio Chico da Família Addams – leia-se Nei – não joga rigorosamente nada. Quem foi que iludiu-o ?
E o tal do Yotún? É mistura de Yakult com Atum com uma pitadinha de erro ortográfico? Parece. A verdade é que do atual plantel vascaíno Roberto Bombinha deveria ficar SOMENTE com Dedé, Marlone, Romário, Tenório, Bernardo, Carlos Alberto e Pedro Ken. NENHUM OUTRO! E contratar uma Comissão Técnica de verdade. Enquanto isso não acontece nosso amado Gigante vai se apequenando a cada dia, sendo motivo de gozações de adversários, principalmente por molambos que são aculturados e não sabem que a marca Vasco da Gama tem uma história recheada de títulos e conquistas. Aprendi que enquanto houver um coração vascaíno o Vasco será imortal. Árdua está sendo a tarefa de mostrar a garotada o valor do nosso clube diante de tantas decepções! Fora Bombinha! Fora Gaúcho!

 

APÓS AS TODAS AS PARTIDAS DO VASCÃO EM MEU PERFIL DO FACEBOOK (QUEM QUISER RECEBER AS CRÔNICAS DE PRIMEIRA MÃO É SÓ ME ADICIONAR), E NOS SITES WEBVASCO (www.webvasco.com), VASCAÍNOS UNIDOS (www.vascainosunidos.com.br) E VASCOLINA (www.vascolina.tk) TEM A OPINIÃO DO JORNALISTA LUIZ CARLOS ROCHA. LEIAM! COMPARTILHEM E CURTAM! VASCAÍNOS UNIDOS JAMAIS SERÃO VENCIDOS. 

 

luizcarlosrochaO Prof. Luiz Carlos Rocha é o Jornalista responsável pelo Webvasco.com (26153 MTB/RJ) com pós-graduação em jornalismo esportivo, além de ser Fotógrafo profissional. Entre sua vasta experiência profissional, estão a Revista Amiga e o Jornal dos Sports. Você pode encontrá-lo no Facebook clicando aqui!

 



         Em apenas três parágrafos vou resumir a crônica de hoje. Aos vinte e TRÊS dias do mês de janeiro de 2013 o Vasco recebeu em São Januário o Macaé e venceu a partida por 4 a 2, com gols de Bernardo, Carlos Alberto, André Ribeiro e Dedé. Descontaram Michel e Anderson Costa. A mudança de postura vascaína não está no comando da equipe, pois como já afirmei mais de TRÊS vezes, Gaúcho não é um treinador para equipe principal do Gigante da Colina. Mas os resultados começaram a aparecer pelo trabalho da TRINCA Renê Simões, Mauro Galvão e Ricardo Gomes. A última vez que conquistou o Campeonato Carioca foi em 2003. Diante do futebol apresentado nas últimas TRÊS partidas (a despedida de Pedrinho, o jogo passado na vitória por 3 a 0 sobre o Boavista e hoje) o cruzmaltino é um dos TRÊS candidatos ao título, isto, porque, sempre torço para o time dos excluídos não ganhar nada!

         O jogo que começou com exatos TRÊS minutos de atraso parecia que era uma visão. Depois de TRÊS tentativas pelo lado esquerdo, o Macaé enfim conseguiu abrir o placar com Michel, aos 15 (que é múltiplo de 3) minutos da etapa inicial.  Nem deu tempo de comemorar e Bernardo, aos 20 minutos, que usa a camisa 31 empatou. Para a alegria do torcedor vascaíno ficar ainda maior, Carlos Alberto virou o marcador, aos 31 minutos! No intervalo a Imensa Torcida Bem Feliz somava mais TRÊS pontos na tabela de classificação e cantarolava o tempo todo no caldeirão.

         Veio o segundo tempo. Logo aos 5 minutos de bola rolando, André Ribeiro marcou o TERCEIRO gol. Aos TRINTA E TRÊS minutos o árbitro Eduardo Cordeiro Guimarães tentou estragar a festa marcando um pênalti duvidoso, na qual Anderson Costa converteu. De qualquer forma o numeral três que estava tão presente ainda estava em nosso favor. A arbitragem deu TRÊS minutos de acréscimos. Aos 47 marcou um pênalti a favor do nosso amado Vascão. Dedé cobrou e definiu o placar. Fosse ele um jogador qualquer os vascaínos mais místicos ficariam chateados por ter alterado o placar por 3 a 2, mas sendo ele o Mito, é mais do que justo que o numeral marque o dia para ele dobrado. Quatro mais dois é igual a seis, que é o dobro de TRÊS! Para concluir: Roberto Bombinha está quase cinco anos na presidência do Vasco. Um ano nos deu a Copa do Brasil e no outro o rebaixamento no Brasileirão. Nos outros TRÊS foi inerte! É com muito orgulho que escrevo minhas crônicas para TRÊS sites: Web Vasco, Unidos Vascaínos e Vascolina. Assinando essa matéria com TRÊS nomes: LUIZ CARLOS ROCHA.

Gostou? Então compartilhe!

Quem está nos visitando