Prof. Luiz Carlos Rocha

E AGORA RICARDO GOMES?

 

 

Na partida de abertura da Segunda Rodada da Taça Rio, Segundo Turno do Campeonato Carioca, o Vasco perdeu por 2 a 0 para o Nova Iguaçu, com gols de Léo Salino. Com o resultado as chances de classificação para as semifinais da competição é praticamente impossível, mantendo o jejum do título. Se as coisas não mudarem nem em 2014 virá. O cruzmaltino não levanta a Taça desde 2003. Apenas 770 torcedores tiveram coragem de pagar para ver um time medíocre atuar hoje no Raulino de Oliveira.


Vale ressaltar, que Léo Salino marcou gols bem parecidos em termos de habilidade, cronologia e apitidão em acabar com o adversário. Importante também lembrar aos meus leitores que na rodada passada – de abertura do turno – perdemos para o Volta Redonda, em casa, por 1 a 0. Se seguirmos esse fatídico rítimo certamente na próxima quarta-feira, dia 27, perderemos por 3 a 0 para o Olaria (para ficar na sequência do placar)

Gaúcho não sabe escalar, tampouco substituir. O banco de reservas foi o grande vilão da noite. Simples a explicação. Se eu tenho a opção de escalar o ruim e o péssimo – que é o atual elenco – qualquer Burrinho com Sorte escalaria o ruim, mas o "treinador" Gaúcho escalou o péssimo! Entre os suplentes tínhamos o Goleiro Michel Alves (menos pior do que Alessandro), Luan, Elsinho (melhorzinho do que Nei), Abuda (é sacanagem tê-lo ainda que no plantel, que dirá no banco!), Marlone (ótimo jogador, tem vaga certa no time titular), Bernardo (craque do Vasco, artilheiro do time no Carioca) e Fellipe Bastos (não pode nem ser torcedor do Gigante da Colina, que dirá jogador, não entende nada de futebol).


A torcida está coberta de razão em protestar. Demorou muito inclusive. Dentre os disparos da noite gritou: "Time sem vergonha", "Dinamite e Gaúcho vão para a casa do caral...", "Time mercenário", "Fora Gaúcho"... O torcedor tem todo o direito de exigir uma equipe mais competitiva. Afinal, é o maior patrimônio do clube e quem realmente mantém a essência futebolística.


Dizem que um raio não cai no mesmo lugar duas vezes. Hoje escutei da Profa. Patrícia Proetti que em relação as provas do exame vestibular aos bacharéis que pretendem obter grau suficiente para ingressarem na profissão de advogados tudo é possível. Mas não é só na OAB que isso acontece. Léo Salino provou que o esquema técnico e tático não funcionava. Tanto que culminou na demissão do "aprendiz". Os gols foram praticamente iguais.


No primeiro tempo, Glauber cruzou da esquerda para a entrada da área, Léo Salino com toda a calma do mundo diante de Sandro Silva e André Ribeiro ajeitou e colocou a bola com carinho no canto direito do arqueiro vascaíno abrindo o marcador. Exatamente aos 42 minutos. Já na etapa complementar, aos 41 minutos, o mesmo Léo Salino tirou outra vez Sandro Silva da jogada com um drible desmoralizante e mandou uma bomba no canto esquerdo do goleiro Alessandro. Que raio de defesa é essa?


Lembro-me muito bem, quando o interino Gaúcho foi efetivado e já naquela época diante de alguns rumores de protestos, o Diretor-Técnico Ricardo Gomes pediu paciência a torcida e disse que o comandante era a melhor opção, que tudo daria certo, caso contrário o torcedor poderia cobrar dele os resultados. E agora Ricardo Gomes? Eu já sabia que não daria certo. O trabalho do Gaúcho nas Divisões de base do Vasco, que teoricamente é muito mais fácil de administrar era um fracasso, não poderia ser um sucesso onde a pressão é infinitamente maior.


É natural a demissão do técnico de um time grande quando o resultado não aparece de forma imediata. O Vasco da Gama tem a terceira maior torcida do Brasil. Tem uma história linda de títulos e conquistas. Não pode ficar entregue a amadores que em todos os momentos mostram-se numa fase eterna de experiência. Nosso incompetente presidente Roberto Bombinha fez mais do que a obrigação em demitir Gaúcho. Espero que ele em conjunto com Renê Simões e Ricardo Gomes pensem em um treinador capaz e renomado.


Estamos insatisfeitos há muito tempo. Saímos de Cristóvão Borges para Marcelo Oliveira, que deu lugar para Gaúcho. Seguindo a velha máxima: um é pouco, dois é bom, três é demais! Não queremos um quarto leigo escalando e treinando nosso amado Vascão. Até porque, Sr. Roberto Estalinho, errar uma vez é normal, sujeito a qualquer do povo, mas errar duas vezes é burrice, segundo o ditado popular. Roberto já errou em três escolhas.


Dificilmente nos classificaremos para as semifinais do Cariocão, versão 2013 (Taça Rio). Então precisamos de mudanças radicais urgentes, no que tange ao planejamento, bem como a adaptação e o entrosamento do elenco para a Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro, que são competições importantes, que levam a vaga na Libertadores. Do atual plantel apenas Romário, Marlone, Bernardo, Dedé, Tenório e Carlos Alberto podem ficar.


Uma nova Comissão Técnica tem de ser contratada. Não só um comandante. A busca por novos patrocinadores é fundamental. Trocar alguns diretores também. Enfim, precisamos consertar muitos pontos em pouco tempo.  

 

APÓS AS TODAS AS PARTIDAS DO VASCÃO EM MEU PERFIL DO FACEBOOK (QUEM QUISER RECEBER AS CRÔNICAS DE PRIMEIRA MÃO É SÓ ME ADICIONAR), E NOS SITES WEBVASCO (www.webvasco.com), VASCAÍNOS UNIDOS (www.vascainosunidos.com.br) E VASCOLINA (www.vascolina.tk) TEM A OPINIÃO DO JORNALISTA LUIZ CARLOS ROCHA. LEIAM! COMPARTILHEM E CURTAM! VASCAÍNOS UNIDOS JAMAIS SERÃO VENCIDOS. 

 

luizcarlosrochaO Prof. Luiz Carlos Rocha é o Jornalista responsável pelo Webvasco.com (26153 MTB/RJ) com pós-graduação em jornalismo esportivo, além de ser Fotógrafo profissional. Entre sua vasta experiência profissional, estão a Revista Amiga e o Jornal dos Sports. Você pode encontrá-lo no Facebook clicando aqui!

 



         Em apenas três parágrafos vou resumir a crônica de hoje. Aos vinte e TRÊS dias do mês de janeiro de 2013 o Vasco recebeu em São Januário o Macaé e venceu a partida por 4 a 2, com gols de Bernardo, Carlos Alberto, André Ribeiro e Dedé. Descontaram Michel e Anderson Costa. A mudança de postura vascaína não está no comando da equipe, pois como já afirmei mais de TRÊS vezes, Gaúcho não é um treinador para equipe principal do Gigante da Colina. Mas os resultados começaram a aparecer pelo trabalho da TRINCA Renê Simões, Mauro Galvão e Ricardo Gomes. A última vez que conquistou o Campeonato Carioca foi em 2003. Diante do futebol apresentado nas últimas TRÊS partidas (a despedida de Pedrinho, o jogo passado na vitória por 3 a 0 sobre o Boavista e hoje) o cruzmaltino é um dos TRÊS candidatos ao título, isto, porque, sempre torço para o time dos excluídos não ganhar nada!

         O jogo que começou com exatos TRÊS minutos de atraso parecia que era uma visão. Depois de TRÊS tentativas pelo lado esquerdo, o Macaé enfim conseguiu abrir o placar com Michel, aos 15 (que é múltiplo de 3) minutos da etapa inicial.  Nem deu tempo de comemorar e Bernardo, aos 20 minutos, que usa a camisa 31 empatou. Para a alegria do torcedor vascaíno ficar ainda maior, Carlos Alberto virou o marcador, aos 31 minutos! No intervalo a Imensa Torcida Bem Feliz somava mais TRÊS pontos na tabela de classificação e cantarolava o tempo todo no caldeirão.

         Veio o segundo tempo. Logo aos 5 minutos de bola rolando, André Ribeiro marcou o TERCEIRO gol. Aos TRINTA E TRÊS minutos o árbitro Eduardo Cordeiro Guimarães tentou estragar a festa marcando um pênalti duvidoso, na qual Anderson Costa converteu. De qualquer forma o numeral três que estava tão presente ainda estava em nosso favor. A arbitragem deu TRÊS minutos de acréscimos. Aos 47 marcou um pênalti a favor do nosso amado Vascão. Dedé cobrou e definiu o placar. Fosse ele um jogador qualquer os vascaínos mais místicos ficariam chateados por ter alterado o placar por 3 a 2, mas sendo ele o Mito, é mais do que justo que o numeral marque o dia para ele dobrado. Quatro mais dois é igual a seis, que é o dobro de TRÊS! Para concluir: Roberto Bombinha está quase cinco anos na presidência do Vasco. Um ano nos deu a Copa do Brasil e no outro o rebaixamento no Brasileirão. Nos outros TRÊS foi inerte! É com muito orgulho que escrevo minhas crônicas para TRÊS sites: Web Vasco, Unidos Vascaínos e Vascolina. Assinando essa matéria com TRÊS nomes: LUIZ CARLOS ROCHA.

Gostou? Então compartilhe!

Quem está nos visitando